terça-feira, 26 de outubro de 2010

XSPB2 - "Enquanto seu lobo não vem"

Chapeuzinho amarelo

Achei esse link interessante: Chapeuzinho amarelo Além da imagem e de alguns detalhes do livro, é possível visualizar os livros e obra de Ziraldo.

Chapeuzinho Amarelo

CHAPEUZINHO AMARELO

Era a Chapeuzinho Amarelo.

Amarelada de medo.

Tinha medo de tudo, aquela Chapeuzinho.


Já não ria.

Em festa, não aparecia.

Não subia escada nem descia.

Não estava resfriada mas tossia.

Ouvia conto de fada e estremecia.

Não brincava mais de nada, nem de amarelinha.



Tinha medo de trovão. Minhoca, pra ela, era cobra.

E nunca apanhava sol porque tinha medo da sombra.

Não ia pra fora pra não se sujar.

Não tomava sopa pra não ensopar.

Não tomava banho pra não descolar.

Não falava nada pra não engasgar.

Não ficava em pé com medo de cair.

Então vivia parada, deitada, mas sem dormir,com medo de pesadelo.


Era a Chapeuzinho Amarelo.


E de todos os medos que tinha o medo mais que medonho era o medo do tal do LOBO.

Um LOBO que nunca se via, que morava lá pra longe, do outro lado da montanha, num buraco da Alemanha, cheio de teia de aranha, numa terra tão estranha, que vai ver que o tal do LOBO nem existia.

Mesmo assim a Chapeuzinho tinha cada vez mais medo do medo do medo do medo de um dia encontrar um LOBO.

Um LOBO que não existia.


E Chapeuzinho Amarelo, de tanto pensar no LOBO, de tanto sonhar com o LOBO, de tanto esperar o LOBO, um dia topou com ele que era assim:


carão de LOBO,

olhão de LOBO,

jeitão de LOBO

e principalmente um bocão tão grande que era capaz de comer duas avós, um caçador, rei, princesa, sete panelas de arroz e um chapéu de sobremesa.

Mas o engraçado é que, assim que encontrou o LOBO, a Chapeuzinho Amarelo foi perdendo aquele medo, o medo do medo do medo de um dia encontrar um LOBO. Foi passando aquele medo do medo que tinha do LOBO. Foi ficando só com um pouco de medo daquele lobo.

Depois acabou o medo e ela ficou só com o lobo. ( ... )

O lobo ficou chateado. ( ... )


LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO B0 LO BO BO ( ... )






(Chico Buarque. Chapeuzinho Amarelo. Rio de Janeiro, José Olympio, 1997.)